Início Sem Categoria GAGUEIRA NA INFÂNCIA: O QUE VOCÊ PRECISA SABER

GAGUEIRA NA INFÂNCIA: O QUE VOCÊ PRECISA SABER

55
0
COMPARTILHAR
GAGUEIRA NA INFÂNCIA: O QUE VOCÊ PRECISA SABER
GAGUEIRA NA INFÂNCIA: O QUE VOCÊ PRECISA SABER

Este artigo dá orientações muito interessantes para a família e a escola lidarem com a gagueira nos primeiros anos da crianças.

____________________

A gagueira infantil corresponde, na maioria das vezes, à gagueira do desenvolvimento pois o surgimento dos primeiros sintomas coincide com a época em que a criança está adquirindo e desenvolvendo a sua linguagem, em torno dos 2 a 4 anos, sendo possível surgirem os primeiros sintomas até os sete anos de idade em alguns casos. 
Uma das grandes dificuldades em relação a este tipo de sintoma é determinar o que é normal e o que representa de fato uma alteração do desenvolvimento. Cerca de 80% das crianças que apresentam algum tipo de disfluência na infância superam estas dificuldades sem a necessidade de uma intervenção profissional. 
Entretanto, algumas crianças apresentam uma maior predisposição para que a gagueira persista. Para determinar se a criança está passando por um processo natural de aquisição de fala e linguagem, ou se existem maiores chances destas alterações persistirem e caracterizar um quadro de gagueira é preciso procurar por um fonoaudiólogo que irá avaliar e orientar adequadamente à família e se necessário iniciar uma intervenção precoce.
Se as alterações na fala perduram por mais de seis meses, se há alguém na família que gagueja, se a criança for do sexo masculino, se apresenta outras alterações de fala, se apresentou alguma complicação de saúde anteriormente, se apresenta tensão ao falar é preciso ficar alerta. 
É importante observar também: Como a criança reage ao perceber estas dificuldades? Fica irritada, desiste de continuar a conversa, se isola o lida tranquilamente, às vezes nem percebe o que está acontecendo… Como a família reage diante da gagueira da criança? Fica ansiosa, demonstra preocupação, pede que a criança respire, pense no que deseja dizer o espera que a criança fale o que deseja dando atenção àquilo que ela diz e não ao modo como isso acontece… 
Existe algum fator de estresse associado à essas dificuldades? Separação dos pais, alguma mudança, gravidez da mãe… Em que momentos esta criança apresenta tais rupturas? Quando está ansiosa desejando contar algo que a deixou muito extasiada ou sempre que vai dizer algo… Como esta criança se relaciona com as outras pessoas? É muito tímida, introvertida, ansiosa, irritada ou interage bem com as outras pessoas? 
Como é a rotina da família? Muito agitada ou há tempo para conversar e brincar com a criança… É claro que apenas um destes fatores não é o suficiente para caracterizar m quadro de gagueira mas a associação destes pode ser um alerta importante. Se as alterações na fala do seu filho estiverem associadas a alguns destes fatores é importante buscar uma avaliação fonoaudiológica o mais rápido possível pois a intervenção precoce garante melhores resultados no tratamento. 

FONTE: http://www.portaleducacao.com.br/
image_pdfimage_print